O 1º mês - 18/11/2011 a 17/12/2011


Continuando os relatos desde o nascimento do Fabrizio agora vou contar como foi o primeiro mês de vida dele.
Recebi alta no dia 20/11, domingo e da maternidade fomos direto para a casa da minha mãe. Como minha cozinha não tinha sido montada pelo marceneiro, eu e o André decidimos que seria melhor ficar na minha mãe por enquanto. Passamos na farmácia e compramos os remédios para dor e infecção. A minha tosse tava feia, e a médica me receitou um xarope também. A Danny tinha montado o bercinho portátil e deixado o quarto bem arrumadinho par anos receber.
Minha mãe pegou 15 dias de férias para me ajudar com o Fabrizio. Ela foi uma benção na minha vida. Ela me ajudou a tomar banho nos 2 dias em que eu estava internada e isso continuou por mais 3 dias em casa. Só no sexto dia é que consegui esfregar meus pés sozinha. Cesárea é ruim por isso, a gente não consegue ter a mobilidade de quem fez parto normal. Ela fazia comida fresquinha todos os dias, fazia canjica e outras iguarias que, segundo a crença popular, faziam o leite descer mais rápido e abundante. Meu leite desceu já na segunda-feira, e o Fabrizio mamava igual a um bezerro. Nos primeiros dias meu peito empedrava, mas logo meu organismo já se adaptou a produzir apenas o necessário para ele. Meu bico não rachou. Aliás, quanto à amamentação nunca tive do que reclamar, foi super tranquilo, e sem falar que é um momento único e íntimo entre mãe e filho. Amamentar é maravilhoso.
No dia 23, cinco dias depois do parto, tive que ir no apê buscar roupas para mi e para o Fabrizio. Na volta passamos na casa da minha tia. Imagine: eu recém operada e batendo perna. Detalhe: eu voltei dirigindo, já que a minha mãe não se acertou muito com o meu carro. No mesmo dia, a tarde, fomos na farmácia. Eu já estava me sentindo muito bem.
No dia 25/11, uma semana depois do parto eu tive retorno na obstetra. Ela olhou a cicatriz da cesárea e me receitou uma pomada para passar sobre ela para ajudar na cicatrização. Na volta passamos no cartório para registrar o pimpolho. Seu nome completo ficou: Fabrizio Milani.
Na terça-feira, dia 29/11 o Fabrizio teve a sua primeira consulta na pediatra, Dra. Marlis. Ela é a pediatra da minha sobrinha Nathalia desde bebezinha e é super de confiança. Cheguei a mudar de plano de saúde para tê-la como médica do Fabrizio, já que ela não atende pela Amil.





A consulta durou 1h e meia, isso mesmo. Ela é muuuuuuuuuito detalhista. Tirei várias dúvidas com ela, entre elas o fato de o umbigo ainda não ter caído. O Fabrizio estava com 3,340Kg e 50cm (ele nasceu com 3,420Kg e 49cm, e saiu do hospital com 3,100Kg). Ela pediu que eu retornasse na semana seguinte para calcular o ganho de peso dele.
O umbigo só foi cair no 14º dia de vida. Até então eu tinha medo de dar banho no pequeno. O André deu banho ainda com o umbigo. No dia em que eu resolvi encarar a missão o umbigo caiu quando tiramos a roupa dele, que bom.
A minha mãe voltou para o trabalho dela no dia 03/12/2011. O marceneiro ainda não tinha terminado de montar a cozinha e fomos obrigados a ficar mais uns dias na casa da minha mãe.
Voltamos na pediatra no dia 08/12/2011 e o Fabrizio, com 20 dias de vida, já estava com 3,610kg e 51,5cm, ou seja, engordou, em média, 33,7 gramas por dia, sendo que o normal é de 15 a 30 gramas por dia. Fiquei super feliz. A Dra. Marlis pediu que eu voltasse no dia 18/12/2011, quando ele faria aniversário, e assim seria em todos os meses até um ano de idade.
No dia 09/12 minha mãe foi no apê ajudar a limpar a cozinha e guardar as louças. Tadinha, ela praticamente fez tudo sozinha. E então, nós nos instalamos definitivamente no apê. Minha mãe pediu para eu levar as nossas roupas num dia em que ela não estivesse em casa, pq ia sofrer muito com a separação (de novo).



Eu fui na segunda-feira seguinte, quando tava todo mundo no trabalho. Na medida em que eu ia fazendo as malas comecei a chorar desesperadamente. Era o corte definitivo do cordão umbilical. Eu estava indo para a minha nova vida, e já com uma responsabilidade maior nos braços. Estava feliz porque enfim ia começar a minha família, no nosso lar... mas ao mesmo tempo é difícil a dor da separação dos nossos entes queridos...
Eu escrevi uma carta para a minha mãe e outra para a Danny. Elas ficaram meio borradas por causa das lágrimas. Eu agradeci por tudo o que elas fizeram pos nós 3 (eu, André e fabrizio). Quando a Danny chegou do serviço e leu a carta ela me ligou em prantos, hauhauah.
Em 20 dias minha eu já tinha desinchado completamente e já estava om meu peso de antes de engravidar. Mas a barriguinha ainda estava um pouquinho saliente, e por isso eu continuei firme com a cinta modeladora.
No dia 17/12, um dia antes de completar um mês, nós fizemos a revelação do amigo secreto da galera e o Fabrizio já participou.

3 comentários:

Dani Marques disse...

Que delícia de bebê!
Parabéns mamãe seu filhote tá lindo!
Adorei a cozinha!
Beijos

Ma disse...

que legal o relato Andressa..sua cozinha ficou super linda! Felicidades e muita saúde para toda a família..

Obs: seu filho já um nome de bem sucedido..hehe =)

beijos
Ma

Danny disse...

É claro que lendo seu relato de quando foi embora eu já chorei de novo né, até hoje vcs fazem falta, amo ter o Fabrizio por perto, ele tá cada dia mais lindo e engraçadinho.
Não vejo a hora de vc atualizar tudo e o povo do blog poder ver o sorriso lindo que ele tem.
Bjs!

Postar um comentário