Ser mãe é padecer no paraíso

Cada dia que passa eu compreendo mais o sentido dessa velha frase.
Desde que descobrimos que estamos grávidas a gente já começa a colocar em prática esse dito popular.
O prazer de sentir um ser dentro no nosso ventre se contrapõe às dores nas costas, à bexiga solta, pés inchados, azia e outros percalços da gestação.
Depois vem a dor das contrações e/ou a dolorosa recuperação da cesárea. Mas de outro lado, temos nos braços aquele ser tão querido...
É nesse momento que a nossa vida vira de pernas para o ar. Mas também é aí que descobrimos o verdadeiro sentido da palavra AMOR.
A casa, o marido, o trabalho: tudo fica no segundo plano. Até nós mesmas ficamos para escanteio (é cabelo despenteado, unhas sem fazer, sobrancelha peluda etc). Tudo agora gira em torno do bebê.
Mas quem se importa com a louça suja na pia, ou a casa cheia de pó diante daqueles olhinhos curiosos nos observando enquanto mama?
Eles vão crescendo e a cada dia apredendo uma coisa nova. A essa altura, nós também já estamos mais experientes e conseguimos dar conta do recado a contento...
E chega o dia de voltarmos ao trabalho. Esse é o primeiro grande sofrimento para nós mães. Mesmo ficando apenas uma parte do dia longe deles, a saudade que dá chega a doer no peito
Quem não sofre ao vê-los doentinhos???
E o que dizer quando eles caem da cama, do berço ou do carrinho??? Nos sentimentos umas monstras, não nos perdoamos pela culpa de não ter cuidado direito...
Eu já padeci muito, mas tudo compensa a alegria de desfrutar o paraíso da maternidade.
O meu bebê está com 6 meses e está na creche há quase 1 mês.
Eu já me acostumei bem ao fato de ele estar na creche e ele tb já está bem adaptado. Mas hoje quando fui levá-lo, uma das educadoras perguntou se eu poderia ir lá a tarde para dar mamá para ele, pois ela notou que ele está sentindo muito a falta do mamá no peito, pq quando elas pegam ele no colo ele fica abrindo a boca na blusa delas, procurando... na hora meus olhos encheram de água... não sei descrever meu sentimento... se é culpa, ou peninha dele... assim que sai portão afora eu abri o bocão.... toda vez que eu me lembro dela falando aquilo para mim eu não consigo segurar as lágrimas... agora escrevendo to aqui me acabando de chorar... estou padecendo...

2 comentários:

Danny disse...

Ai mana, sei o que vc sente, e sei o quanto é dolorido, chega doer de verdade. Claro que também abri a boca chorar lendo seu texto e imaginando essa cerna tão conhecida minha, quando ele ficava aqui em casa era exatamente isso que ele fazia, meu coração cortava.
Mas sabe que o mundo da maternidade anda paralelo com o mundo da culpa, pro resto da vida nos sentiremos culpadas em relação aos filhos, mesmo hoje aos 06 anos da Nathalia eu vivo me culpando por tudo, mas tenho certeza que vc é uma ótima mãe e tudo são fases que temos que passar.
Bjs e força da peruca!!!

debora disse...

força Andressa choreiiii

Postar um comentário